O Timming da Vida com Zé Pedro

Nos bastidores do FH, encontro o DJ querido e famoso. Tenho que aproveitar para uma entrevista rápida. Só consegui finalizar o texto escrito estes dias.

Primeiro: abraços e beijos de saudades seguido do famoso: E aí veia? É sempre assim que nos cumprimentamos ao meio de muita gargalhada.

Para quem não conhece a história de Zé Pedro. Ele, Mau Mau e Renato Lopes dominaram as trilhas sonoras durante muitos anos do Phytoervas Fashion, Morumbi Fashion Brasil, e assim sucessivamente, além de tocarem nas festas mais descoladas. Zé Pedro não perdeu a paciência com os fashionistas (precisa ter paciência e sapiência conosco) e continua fazendo muitos e muitos desfiles mundo afora.

Ele foi “descoberto” por Paulo Borges durante uma festa da Forum, quando apresentou Parabéns pra Você, se não me engano para o Giovanni Bianco ao som mixado em ritmos populares brasileiros com musica eletrônica. Não lembro de quem. Desculpem-me, faz tempo. Usar música brasileira é uma das suas assinaturas sonoras.

Autor do livro “Meus discos e nada mais — memórias de um DJ na música brasileira”. Ele também tem o site DJ Zé Pedro, pelo link: http://djzepedro.uol.com.br/web/ que você tem acesso a discografia dele, assim como também pode baixar as trilhas dos desfiles e diversas músicas mixadas.

Sobre a construção da trilha ele diz que depois de escutar o briefing sobre a coleção (o que seria uma espécie de inspiração, às vezes com imagens) insiste que seu cliente: “Vá lá em casa, para achar umas músicas, encontrar um lugar.”

Que lugar?, pergunto.

_ “Ah…tem um lugar, né veia. É o lugar…” Depois que encontram este espaço musical, uma espécie de caminho a ser trilhado. Ele vai unindo pedaços, mixando, encaixando e claro, caminhando. Envia para o designer, muitas vezes para stylist também que dão suas opiniões.

_ “Ai, depende do cliente. Tem gente que põem a mão em tudo, que quer trocar a trilha até a última hora, que quer aquele som, e eu sei que não vai funcionar, tem gente que não muda nada…É complicado você está a serviço de outro artista… Num é veia? Você sabe como é! (Muitas gargalhadas).

Na sua opinião o que é mais importante para fazer a trilha do desfile?

_“Conheço muita música, mas para fazer desfile, você precisa ter noção de timming: saber quando o som é legal, mas para a trilha é ruim, até que ponto do  som você vai usar e o que trazer na seqüência… As pessoas não ficam mais na primeira fila balançando o pezinho porque gostaram do som, a trilha não salva mais desfile ruim….Elas sentem o conjunto, o conjunto do espetáculo.”

Aliás, timming não é só no catwalk, mas também nas passarelas da vida. Sentir e vivenciar este conjunto até que é bem divertido. Não é, veio?

Por Mariana Rachel Roncoletta