Fernanda Yamamoto

O desfile apresentou uma coleção trabalhada em upclying – reaproveitamento de tecidos, e lindíssima. São looks que misturam texturas com uma construção- desconstrução da alfaiataria. O styling de Paulo Martinez e o beauty de Marcos Costa garantiram a ênfase nas peças, no entanto, proporcionaram a coesão das imagens de moda.

2016_7fernanda01 2016_7fernanda03 2016_7fernanda03

Por Mariana Rachel Roncoletta

Fotos: Agência Fotosite

Moda na bike

A designer Emma Jorn,em parceria com o especialista Ilse Jacobsen, desenvolveu peças femininas fashionistas a prova d’água para andar de bike. Parênteses: o nicho de mercado esportivo para mulheres ainda é pouco explorado.

2016_5emma

Observem que a campanha tem o seu lado de edição de moda, na linguagem do universo fashion, e da Gestalt, para os estudiosos. Explicarei: a continuidade do look da esquerda se prolonga pela cor utilizada na saia, meia amarela e no sapato.

Já o look da direita, com saltos altos, nada funcionais para andar de bike – são para demonstrar que a imagem tem a intenção de demonstrar uma produção de moda e não de um esportista. Ficou claro… Simples, não?!

Por Mariana Rachel Roncoletta

Link: https://www.ilsejacobsen.com/women/regntoj/emma-jorn-da.html

 

Pra ver de perto

Durante o SPFW41 que não se identifica mais como edição de inverno ou verão, finalmente, a Osklen lançou sua coleção no antigo molde venha me ver de perto, isto é, nada de espetáculo desfile.

O formato foi uma modesta exposição em araras com as peças expostas para serem acariciadas acompanhado de uma festa na loja da vida madalena com vídeos e um belo ensaio fotográfico.

521osklen3

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Inovador? Não! Adequado ao perfil da marca. Uma estratégia de comunicação que muitos comentarão.

521osklen2 521osklen1

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Por Mariana Rachel Roncoletta

Fotos da campanha: Glesson Paulino.

Styling: Pedro Sales

Fotos do evento: Agência Fotosite

huge capa

Denim for All

Os jeans são as peças mais utilizadas por nós. Possuem diversos estilos, incorporam nossas vidas, seja no dia a dia ou na noite. As peças podem ser clássicas, chics, glamourosas, customizadas, da feirinha, recicladas…

Das peças do austríaco Levi Strauss (já com rebites!!) que apareceram nos EUA, em 1873, passando pela rebeldia dos ícones dos anos 50/60, representados por James Deam, às coleções mais sofisticadas e luxuosas, encontramos na historia da sociedade: o Sr. Jeans, sempre em nossos closets, claro.

Em sua homenagem, selecionei o editorial da revista japonesa masculina HUGE intitulado Absolut MAN com peças da primeira coleção masculina da Balmain, disponível em: Huge Magazine.

huge1 huge2 huge3 huge4 huge5 huge6

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O modelo é o Ash Stymest, fotografado por Satoshi Sakurai e o styling é de Tsuyoshi Noguchi. Atenção para as taxas e o fino clima de rebeldia!!! O gestual de Ash é tudo de bom.

Por Mariana Rachel Roncoletta

Fotos: Huge (reprodução)

 

gui no mube2

No MuBE – A Message For You by Guy Bourdin

A 3ª edição, o Iguatemi Photo Series traz a mostra “A Message For You”, com uma retrospectiva do trabalho do fotógrafo francês Guy Bourdin (falei da exposição em homenagem a ele em Cannes na semana passada).

Esta que acontece no MuBE em São Paulo, com curadoria de Chico Lowndes é imperdível. São editoriais de moda internacionais, fotografias inéditas, campanhas de grifes famosas, curtas-metragens, filmes e editoriais em movimento produzidos entre 1950 e o início dos anos 1990. Estou louca para ver – Guy Bourdin já era multimídia há décadas !!!

Exposição:“A Message For You”, de Guy Bourdin

Onde: MuBE

Rua Alemanha, 221 – São Paulo

Informações: 11. 2594-2601

Quando: de 15 de agosto a 31 de agosto – de terça a domingo, das 10 às 19hs

Por Mariana Rachel Roncoletta

Fotos: divulgação

 

advanced5a

Personal Styling

advanced3a advanced5 advanced2aJá falamos por aqui de pluralidade e diversidade na moda, alias Diane Crane (socióloga que estuda moda) diz que, a moda é muito mais uma ferramenta de escolhas do que mimética. Sua imposição de tendências e homogeneização, segundo a autora, nunca foi total, nem mesmo nos tempos da Alta-Costura.

Espera-se que o consumidor construa seus looks a partir de um leque de produtos disponíveis no mercado. Estas escolhas são pessoais e associadas ao gosto de cada um – o que de certa forma chamamos de estilos pessoal. Sim estilos, no plural, afinal você pode querer ser uma clássica executiva durante o dia e à noite, uma mulher sexy e ousada – não? Diferentes estilos para diferentes contextos sociais.

Bem, recentemente vi no blog da Biti (Moda Sem Frescura, eu realmente recomendo) o blog Advanced Style disponível pelo o link: http://advancedstyle.blogspot.com/ dedicado as pessoas com mais de 70 anos que usam os looks como formas de expressão. As imagens deste post são deste blog.

Então, personal styling é ou não é uma questão de escolha? Quem disse que devemos seguir tendências? Use-as, se você quiser, como você quiser – e se você não segui-las, muito provavelmente algum Cool Hunter (profissional especializado em localizar tendências) irá fotografar seu look “interessante” e usá-lo em algum Book de Tendências futuro.

O importante é você se expressar como você quer se expressar !!!

Por Mariana Rachel Roncoletta

Fotos: Advanced Style

Os piores looks

Como você pode ver nas fotos, celebridade erra… e ERRA, feio! O que quero dizer é: o vestido pode ser espetacular, mas nem sempre a combinação do look, é boa.

Como look, compreendo a edição completa, ou seja, a roupa + acessórios utilizados (brinco, colar, cinto, sapatos etc…) + maquiagem e cabelo + estrutura corporal + atitude. Todos estes itens ainda são pensados de acordo com a ocasião, os famosos rituais sociais que vivenciamos. O “carpete vermelho” é um excelente exemplo destes momentos.

Você já ouviu as frases: “Esta roupa é linda, mas não faz o meu estilo” ou “Você não segura este look”? Então, é exatamente isto que este post comenta, não é uma questão de certo ou errado, mas sim uma questão de saber o que você (leia-se celebridade) segura ou não e de como às vezes, um detalhe acaba com tudo.

Vamos lá: Kyle Minogue no Dolce & Gabanna pink esqueceu de se pentear. Parece que ela quis dar um ar despojado, mas na verdade parece cabelo sujo. Péssimo. Já Charlotte Gainsbourg está de um curto preto ótimo, a carteira também com saltos ainda melhores, mas olhe para o rosto da mulher… o que aconteceu? Ela se esqueceu do corretivo básico e estragou tudo. Uma pena: cabelos e maquiagens descuidados! Atenção, ok!

Hillary Swank está muito séria neste belíssimo vestido de Giorgio Armani: a cor cinza mais o cabelo preso de lado junto com o colar careta a envelheceram uns 20 anos. Não é o tipo de look para ela.

Já não gostava do vestido de Holft Golan, rasgos na laterais, nas costas uma espécie de sutiã aparecendo, mas o pior foi quando a atriz abaixou-se para erguer seu longo e vimos o fio dental. Claro que os paparazzi não iam perdoar. Lamentável! Lembre-se da atitude, não adianta colocar um longo em uma mulher que não sabe carregá-lo. Não preciso nem comentar a cava lateral de Phoebe Price no frente-única verde-agua, cheio de babados.

 

Mariana Rachel Roncoletta

publicado originalmente em www.espaçofh.com.br

09maria bonita inv09 rahel

Picadeiro fashion

Maria Bonita armou uma tenda circense estilizada para apresentar o inverno 2009 na SPFW. Neste elegante picadeiro, ela pretende trabalhar formas circenses e o faz com absoluta elegância. Nesta temporada, as formas clássicas da alfaiataria surgem renovadas. Danielle Jensen percorre o guarda-roupa masculino de onde resgata os tecidos tradicionais, renovados por novas tecnologias. Entre eles estão flanelas de lã e gabardines, apropriados para um inverno cada vez mais leve. As malhas são confortáveis, nas formas e texturas. Assim são os cardigans e os maxipulls que se transformam em vestidos.

A coleção dá um salto e pula do trapézio do tricô tradicional para o da vanguarda, em que transitam as malhas vazadas, que aparecem com tops, leggings ou mesmo como calças de alfaiataria.

O toque clássico continua presente, mas atualizado pelo desejo de desconstruir as peças, deslocar elementos e construir novas propostas. Assim acontece com a calça que, na verdade, é um macacão tomara-que-caia; com a calça-camisa e ainda com a camisa-vestido. Lapelas se deslocam e palas são estrategicamente colocadas num inteligente jogo de modelagem. Este, aliás, é um ponto fortíssimo da marca. Danielle Jensen, em verdadeiras jogadas de mestre, consegue transformar todo o modelo trabalhando volume em um só ponto da peça.

A designer investe em formas geométricas na linha de blazers – que apresentam um certo perfume de anos 80 – e vestidos em forma de trapézio. O patchwork de Maria Bonita segue uma proposta cubista, mas as cores são sóbrias, assim como em toda a coleção. Prevalecem as variações de cinzas (do mais claro ao grafite), beges e marrons, com pitadas de vinho e rosê.

A nova coleção é, sem dúvida, para mulheres elegantes mas, principalmente, para as altas e esguias.

Moda Brasil + Design aposta nos tricôs e no macacão tomara-que-caia

Eleni Kronka e Mariana Rachel Roncoletta
Fotos: Rahel Patrasso
blog.anhembi.br

publicado originalmente em 20/01/2009

09osklen edicao2

A beleza da lã orgânica

O styling de Pedro Salles mora nos detalhes. Explico: a coleção é composta de praticamente dois tons, isto é, nuances de cinza mescla e preto. Destacam-se as diversas texturas, como a do moletom tricotado ou nervurado e do tricô resinado que exigem uma edição de looks selecionada pelos materiais, como a lã orgânica. Tais matérias são sustentáveis e afirmam a posição ecossocial da Osklen.
A reconstrução da modelagem hoodie (moletom com capuz) mescla os looks masculinos e femininos nas amplas proporções durante todo o show.Grandes óculos em todos os modelos sugerem didaticamente uma certa atitude intelectual, meio nerd descolado. A marca propõe, através dos personagens da passarela, um humanista que reflete sobre as questões necessárias para reinventar o mundo.

Mariana Rachel Roncoletta
blog.anhembi.br

publicado originalmente em 20/01/2009

09david e sommer

Criação de Imagens para o Do Estilista

No bate papo com David Pollak, stylist e amigo de Marcelo Sommer, revelou exclusivamente para o Moda Brasil + Design como desenvolveu o styling para a marca Do Estilista. Ele conta que o processo de criação está em fazer, “e não pensar muito”. Ele explica que o processo flui naturalmente mas, para isso, ”é preciso ter muita intimidade com a marca”.

“Tudo começa cerca de três meses antes do desfile”, conta. Segundo ele, Sommer trouxe idéias e ”coisinhas da Holanda”, como os saquinhos de embalagem. “A partir daí, pensamos nos tecidos, na cartela de cores, silhuetas e nas estampas”. O primeiro passo em direção a criação da imagem da marca para esta estação foi dado.

Depois de um tempo, que depende de cada designer, David retorna para ver o desenvolvimento da coleção. Discutem sobre croquis, silhuetas, algumas peças já estão prontas e juntos pensam na apresentação do desfile. “Em alguns momentos, peço para fazer determinada peça”. Desta maneira, ele já está íntimo do conceito da coleção.

David começa a seleção do casting e a edição dos looks, elementos do styling nos quais ele mais se envolve. “Isto acontece pelo menos um mês antes da apresentação do espetáculo”, conta. A seguir, discutem junto com o DJ a trilha sonora, com o beauty-artist a beleza do desfile e com o cenógrafo a ambientação.

A equipe inteira está afinada com o conceito da marca, e assim cada profissional desenvolve um pedacinho destas imagens que tanto nos atraem.

Mariana Rachel Roncoletta
blog.anhembi.br

publicado originalmente em 18/09/2009.